Armazenamento adequado garante a qualidade do milho

No Brasil, o cultivo do milho é tradicional tanto nas pequenas, quanto nas grandes propriedades. Mato Grosso é famoso por estar entre os maiores produtores do Brasil.  Mas é importante frisar que uma colheita satisfatória, exige o conhecimento de métodos que ajudam na melhoria das condições de plantio. A escolha de um sistema baseia-se na realidade dos pequenos produtores e não no estabelecimento rígido de um método. O que é bom para um, pode não ser para o outro. Por isso, é importante conhecer tecnologias e práticas, ainda que simples, empregá-las, experimentá-las e escolher as mais adequadas.

Colheita do Milho-Rafael Manzutti (80)
Foto: Rafael Manzutti

Continuar lendo

Semente de qualidade garante boa produção e produtividade

Para o produtor Mário Oliveira e Silva a produção e produtividade da lavoura está diretamente ligada a qualidade da semente. “Semente é vida e precisa ter qualidade sanitária, ou seja, serem livres da presença de fitopatógenos, que associados se tornam um dos meios mais eficientes de se introduzir e acumular inóculo de patógenos em áreas de cultivo”, explica. O produtor diz ainda que quando isso acontece é comum a redução do poder germinativo e do nível de vigor das sementes, limitando assim a produtividade e aumentando o custo de produção.

foto1

Continuar lendo

Plantio direto pode aumentar a produtividade em até 30%

Com as chuvas da semana passada, boa parte dos municípios mato-grossenses já iniciaram o plantio da safra 2017/2018. A expectativa é que se as chuvas previstas forem confirmadas para esta semana, as máquinas vão trabalhar a todo vapor e a semeadura deve avançar consideravelmente em todo o estado.

De acordo com a estimativa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Mato Grosso deve plantar 9,4 milhões de hectares na safra 2017/18. A produtividade deve ser de 54,12 sacas por hectare, um pouco abaixo da safra anterior, que foi de 55,3 sacas por hectare.foto1 Continuar lendo

Colocando a mão na massa de novo

O descanso acabou. Chegou a hora de voltar ao trabalho e colocar a Carrega Brasil na estrada de novo.

SONY DSC

Esta é a carreta do projeto Soja Brasil, que se transforma numa sala de aula onde são realizados os treinamentos do Senar-MT e parceiros. Os assuntos em pauta são Manejo Integrado de Pragas, Etanol de Milho e Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas.

04-01 - preparativos para o soja brasil1

Depois de 14 dias de recesso, a equipe do Soja Brasil voltou a trabalhar a todo vapor nos preparativos para a segunda e última etapa do Projeto Soja Brasil em Mato Grosso. O primeiro município a ser visitado será Porto Alegre do Norte, no dia 11 de janeiro. Na primeira semana a caravana também passa pelas cidades de Querência, Canarana, Água Boa e Nova Xavantina. Já na segunda a Carrega Brasil estaciona nos municípios de Campo Verde, Primavera do Leste, Rondonópolis, Itiquira e Alto Araguaia.

Cinquentão

_DSC0040
A sede do sindicato fica bem no centro de Diamantino

O Sindicato Rural de Diamantino completa em 2016 meio século de história. O presidente do sindicato, José Aparecido Cazzeta lembra que várias dificuldades foram e são enfrentadas nesses 50 anos, mas destaca que há muito a se comemorar. Hoje o sindicato possui 170 filiados e em parceria com o Senar-MT realiza cerca de 50 treinamentos por ano.

Essa mão de obra é aproveitada no município, que é sustentado pelo setor da agropecuária. Diamantino cultiva 400 mil hectares de soja, 146 mil hectares de milho, 36 mil hectares de algodão e cria 100 mil cabeças de gado. Na região estão instaladas empresas como o frigorífero JBS, a Suinobras (cria e recria de suínos), três empresas de revenda de maquinário agrícola, e os grupos Vanguarda Agro, El Tejar e Bom Futuro.

Ufa! É não dá para deixar o aniversário de um sujeito deste passar em branco… Então em 2016,  o sindicato prepara uma grande festa para comemorar a data.