Cana é uma das fontes mais eficiente para produção de biocombustível

A cana é considerada como uma das fontes mais eficientes para produção de biomassa e biocombustíveis. A produtividade de etanol por área da cana é no mínimo o dobro do que é produzido em trigo ou milho. O Brasil alcançou níveis muito altos de produtividade de etanol proveniente da cana, na ordem de 7 mil litros de etanol/ha e 6,1 MWh de energia/ha. Uma típica usina de cana-de-açúcar no Brasil processa 2 milhões de toneladas de cana em 30.mil/ha de área agrícola e produz 200 milhões de litros de etanol por ano.

Continuar lendo

RenovaBio prevê metas de descarbonização para o setor de combustíveis

Lançado em 2016, o RenovaBio que é uma política de Estado e tem o objetivo de traçar uma estratégia conjunta para reconhecer o papel de cada tipo de combustível na matriz energética brasileira, tanto para a segurança energética quanto para mitigação de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa. Diferentemente de medidas tradicionais, o RenovaBio não propõe a criação de imposto sobre carbono, subsídios, crédito presumido ou mandatos volumétricos de adição de biocombustíveis a combustíveis.

A lista de objetivos inclui ainda o fornecimento de contribuição para o cumprimento dos compromissos nacionalmente determinados pelo Brasil no âmbito do “Acordo de Paris”, a promoção adequada da expansão dos biocombustíveis na matriz energética, com ênfase na regularidade do abastecimento de combustíveis.

Continuar lendo

É tempo de ficar de olho na lucratividade da Cana-de-Açúcar

De acordo com o relatório divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), haverá um aumento de 599 mil toneladas entre a safra 2016/17 e a 2017/18, saindo de 16,3 milhões para R$ 16,9 milhões de toneladas (variação de 3,7%).  A Conab também estimou crescimento na área plantada, saindo de 229 mil hectares para 233 mil (+1,4%). Haverá ainda, conforme o relatório, aumento de 2,2% na produtividade estadual, de 71 mil quilos por hectare para 72,6 mil quilos/ha.Do total, 2,754 milhões de toneladas (crescimento de 1,8%) serão destinadas à produção de açúcar, que está estimada em 391 mil toneladas (queda de 1,6% em relação à última safra). A produção de cana destinada ao etanol deverá aumentar 4%, chegando a 14,1 milhões de toneladas. A previsão da Conab é de que Mato Grosso produza 1,2 bilhão de litros do biocombustível (aumento de 0,3%).

 

 

Continuar lendo