Reprodutor de qualidade garante melhoramento genético do rebanho

A eficiência reprodutiva é fundamental para o sistema de produção de bovinos, que apresenta ciclo de reprodução longo, com um descendente a cada parto. Uma boa eficiência nesta área, seja pelo acasalamento ou pela inseminação artificial, permite maior vida útil dos animais e mais nascimentos de bezerros. A idade para se atingir o peso ideal vai depender do nível de manejo, da alimentação e de cuidados sanitários.

O pós parto da vaca também é um período que merece atenção e é indispensável para que o animal fique prenhe o mais rápido possível e, consequentemente, haja melhor aproveitamento da vida reprodutiva. Existem inúmeras informações e tecnologias geradas pelos resultados de pesquisas disponíveis para aplicação imediata pelos produtores, capazes de reduzir seus custos de produção, desde que corretamente utilizadas.

 

 

A intensidade do uso de reprodutores em uma propriedade é alta quando comparado às

fêmeas. Isto ocorre por apresentarem um número muito maior de descendentes além de terem uma grande capacidade de cobrir um número maior de vacas. Portanto os reprodutores têm uma boa parcela de responsabilidade quando o assunto é o progresso genético do rebanho. A escolha de um bom touro influência tanto no melhoramento genético como nos índices reprodutivos do rebanho.

A utilização de um touro avaliado dentro de um programa de melhoramento genético é sempre importante, principalmente se esta avaliação for realizada a partir de vários rebanhos e um grande número de animais. Isto vai garantir a variabilidade genética que é a base para o progresso do rebanho, além de maior confiabilidade às avaliações genéticas. Quanto maior a variabilidade, maior será o diferencial de seleção.

 

Entretanto é preciso ficar atento às características avaliadas que devem ser observadas como um todo. Esta lista de características é extensa e inclui pontos importantes a serem observados como a Diferença Esperada na Progênie (DEP) para peso ao desmame e sobreano, DEP para perímetro escrotal, precocidade de prenhez e de carcaça e  DEP para musculatura e conformação.

É interessante que o pecuarista leve em consideração pelo menos estas características.  Um touro de boa qualidade garantirá animais com bom ganho de peso, melhor qualidade de carcaça e principalmente mais precoces. As características funcionais são imprescindíveis para que os reprodutores tenham condições de cobrir as fêmeas.

Bovinocultura de Corte - Baixa Resolução- Rafael Manzutti (6)

Uma forma de garantir que está adquirindo um produto de qualidade é verificar se o reprodutor possui o Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP). Este certificado comprova a qualidade genética garantindo que o animal está entre os 20% melhores do rebanho no qual foram selecionados. É importante escolher com critério e se possível contar com a ajuda de um técnico que auxilie o produtor quanto às informações dos animais.

E mais que tudo isso, é imprescindível conciliar todas as informações para que se tenha uma visão completa do animal e de sua possível progênie. A conscientização dos produtores quanto à escolha criteriosa dos reprodutores só irá trazer benefícios a nossa pecuária, alavancando o progresso genético com maiores ganhos anuais e, consequentemente, maior rentabilidade ao criador.

Fonte: Beef Point, Embrapa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s