Máquinas adequadas e profissionais capacitados. Receita ideal para melhorar a rentabilidade na propriedade.

Mato Grosso é um dos estados que mais produz grãos no Brasil, que é considerado um dos maiores produtores de grãos, fibras e cereais do mundo. Assim sendo, o país também acaba sendo um grande consumidor de defensivos agrícolas. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Brasil utiliza cerca de 300 mil toneladas de defensivos por ano. Por este motivo, a adequada utilização destes produtos se faz necessária, não só para garantir o potencial produtivo das áreas agrícolas brasileiras, mas também para preservar o meio ambiente em que se vive.

blog 27 - foto 1

Mas é importante destacar que o avanço tecnológico de máquinas e implementos agrícolas, com a utilização dos sistemas eletrônicos embarcados, possibilitando a realização das atividades de forma segura, rápida e econômica é muito dinâmico. Para atender a necessidade de aplicação de agroquímicos na agricultura e manter a fitossanidade das áreas agrícolas, o setor das máquinas agrícolas foi chamado a auxiliar com tecnologia adequada para estes processos.

Os pulverizadores agrícolas utilizados para a proteção das culturas atendem o objetivo de atingir o alvo biológico e possibilitar que estas demonstrem sua produtividade potencial no meio em que se encontram. Atualmente, no mercado brasileiro existem diversos tipos de pulverizadores, onde se podem destacar os autopropelidos, como máquinas de grande porte com alta tecnologia embarcada e, decorrente disto, uma elevada capacidade operacional, o que possibilita atender grandes áreas com qualidade na pulverização.

blog 27 - foto 2

Para o operador de máquinas Antônio Luís de Lima Soares, a evolução destas máquinas trouxe mais conforto, facilidade e qualidade na aplicação em altas velocidades. “Isso sem falar na suspensão pneumática e autonivelante. Por outro lado, a cada ano percebemos muitas inovações nas máquinas que chegam ao campo. Em função disso, precisamos estar sempre nos atualizando para saber operar bem os autopropelidos e evitar o desperdício que impacta diretamente no custo de produção”, enfatiza Soares.

O mercado de máquinas e implementos agrícolas oferece mais de 60 modelos de pulverizadores autopropelido. Há muitas variedades, tamanhos, configurações e diversificadas características para atender a necessidade de cada lavoura.

Para operar cada um deles é preciso um profissional qualificado e que seja capacitado frequentemente para utilizar 100% do que cada uma destas máquinas oferece, melhorando assim a rentabilidade. “Com tanta variação e novidades tecnológicas chegando a todo momento ao mercado de máquinas e implementos agrícolas, nós produtores rurais precisamos estar sempre em busca de conhecimento para melhorar ainda mais a relação custo benefício”, explica o produtor rural Emanuel de Almeida, que tem propriedade na região de Sapezal.

 

Segundo o produtor, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) tem ajudado bastante na qualificação destes profissionais. Almeida conta ainda que é comum utilizar profissionais temporários para operar estas máquinas no período de safra, quando aumenta o trabalho na propriedade. “Como todos têm investido em capacitação dos operadores e de todos os profissionais da propriedade, quando a rotatividade acontece não há queda na qualidade do serviço prestado”.

Para atender essa necessidade o SENAR-MT oferece o treinamento Aplicação de Agrotóxicos utilizando pulverizador autopropelido. Com uma carga horária de 40 horas, tem como objetivo mostrar como aplicar agrotóxico, utilizando pulverizador auto propelido. O conteúdo inclui assuntos como condições meteorológicas, tipos, componentes, revisão e manutenção dos componentes do pulverizador autopropelido. Mas não é só isso, os participantes também têm a oportunidade de aprimorar os conhecimentos sobre o controle eletrônico, calibragem do pulverizador e ainda lavagem, armazenamento e transporte das embalagens dos defensivos agrícolas.

01.12- Palestras em Diamantino (13)

Para o engenheiro agrônomo Manoel Lobo, em qualquer tratamento fitossanitário que seja necessário em qualquer cultura, os equipamentos de aplicação, sejam eles pulverizadores terrestres ou aéreos, desde que corretamente regulados, calibrados e formatados para os devidos fins, estarão trabalhando com a mesma eficiência e segurança.

Segundo ele tecnicamente, não existem diferenças de resultado na eficiência do controle químico de doenças (fúngicas/bacterianas), insetos e plantas invasoras, entre os pulverizadores tratorizados (montados e de arrasto), autopropelidos e as aeronaves agrícolas, diferenciando somente o “TIMING” da aplicação, ou seja, o momento oportuno, o tempo de “fechamento” da pulverização em uma determinada área de cultura comercial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s