Semente de qualidade garante boa produção e produtividade

Para o produtor Mário Oliveira e Silva a produção e produtividade da lavoura está diretamente ligada a qualidade da semente. “Semente é vida e precisa ter qualidade sanitária, ou seja, serem livres da presença de fitopatógenos, que associados se tornam um dos meios mais eficientes de se introduzir e acumular inóculo de patógenos em áreas de cultivo”, explica. O produtor diz ainda que quando isso acontece é comum a redução do poder germinativo e do nível de vigor das sementes, limitando assim a produtividade e aumentando o custo de produção.

foto1

Qualidade é um assunto sério e polêmico para os produtores. O tratamento de sementes é uma técnica que tem por objetivo assegurar a qualidade sanitária das sementes, através da aplicação de produtos químicos eficientes para controlar fitopatógenos, principalmente fungos associados às sementes ou presentes no solo, além de atuar contra o ataque inicial de pragas específicas do solo, protegendo as plântulas durante o processo germinativo e de emergência.

O objetivo do tratamento é garantir a qualidade sanitária por meio da aplicação de produtos químicos eficientes para controlar principalmente fungos associados às sementes ou presentes no solo. Além disso também serve para proteger contra o ataque inicial de pragas específicas do solo. O tratamento das sementes geralmente é realizado tanto na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) quanto na propriedade, antes da semeadura.

soja 5 - Copia

Para se ter uma semente saudável é importante observar alguns pontos como a germinação, o vigor e a umidade da semente. O teste de germinação é uma avaliação primária das condições do lote de sementes, é a base que determina requisitos fundamentais para permitir a comercialização do produto. No Brasil, a legislação exige que a sementes de soja ofereçam, no mínimo, taxa de germinação de 80%. Ou seja, se o produtor plantar 100 sementes certificadas de soja, pelo menos 80 delas devem germinar.

soja 3 - Copia

O vigor da semente é outro ponto importante a ser considerado. Sementes com alto vigor geram plantas com melhor desenvolvimento do sistema radicular e mais produtivas. O teste de vigor é um dos mais importantes porque mostra como a semente vai se comportar em condições adversas. Vale ressaltar que a diferença de vigor pode ser influenciada pela idade fisiológica da semente. A legislação brasileira não exige que as sementeiras realizem testes de vigor das sementes.

soja 4 - Copia

Já quando o assunto é umidade, a porcentagem de quantidade de água dentro da semente é um parâmetro fundamental de qualidade que afeta a germinação e a saúde da semente. Por isso, a armazenagem do produto deve ser criteriosa. Com alto teor de umidade e temperaturas altas, pode haver proliferação de fungos e bactérias. Somente em uma determinada faixa de umidade que a semente pode ser armazenada sem perder a qualidade. A recomendação dos especialistas é armazenar a semente com muito cuidado. O ideal é que o produtor receba as sementes próximo ao início do plantio e elas sejam guardadas em locais bem ventilado, sobre paletes de madeira e sem a incidência de luz solar.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) oferece diversos treinamentos para a cadeia produtiva da Soja e do Milho. Os interessados devem procurar o Sindicato de Produtores Rurais de seu município para ver se há turmas previstas e se há vagas.

 

CURIOSIDADE – Em geral, as sementes pertencem a espécies que são geneticamente de vida longa, porém algumas são de vida curta.  A maioria das espécies consideradas de vida longa pertence à família das Fabáceas (leguminosas), que se caracterizam por apresentar tegumento duro e impermeável (sementes duras). Cereais, como cevada e aveia, são também considerados de vida longa, enquanto que o centeio é de vida curta e milho e trigo são intermediários. Outras classificações colocam a cevada e o trigo num mesmo nível e a aveia como tendo o pior potencial de armazenagem.

De acordo com o engenheiro agrônomo e doutor em Fitotecnia, José Luís da Silva Nunes, o potencial de armazenagem das sementes varia consideravelmente entre espécies em condições favoráveis idênticas. Esse potencial está determinado pelo período de tempo em que certa proporção de sementes morre ou, inversamente, permanecem vivas. Em um lote de sementes, nem todas morrem ao mesmo tempo, já que, por ser uma característica individual, o potencial de armazenagem afeta a porcentagem de viabilidade do lote de sementes.

Assim sendo, em um mesmo grupo genético, nem todas as espécies, variedades ou sementes individuais, sobrevivem ao mesmo período de tempo. Para efeitos práticos, na armazenagem comercial de sementes, é suficiente conhecer o potencial de cada da espécie em questão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s