40 mil produtores mato-grossenses recebem assistência técnica

O sol ainda nem se apresentou para mais um dia de trabalho e os produtores Carlos Nunes e a esposa, Clarice Arruda Nunes já estão na “labuta”. Eles são pioneiros no projeto Pró-Limão desenvolvido nos municípios de Peixoto de Azevedo e Matupá e contam com a assistência técnica da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), umas das instituições que oferece assistência técnica para os produtores rurais em Mato Grosso.

projeto pro limao luiz e clarice nunes
Carlos e Clarisse Nunes

Este projeto começou em 2016, quando foram distribuídas 12 mil mudas de limão taiti para 25 produtores rurais da região. A expectativa é de produzir mais de 360 toneladas do fruto a partir de 2018. Cada um plantou 480 mudas em uma área de um hectare.

Assim como o Pró-limão, há centenas de outros espalhados por todo país. De acordo com o com dados do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), cerca de 900 mil famílias são atendidas com assistência técnica em todo o Brasil. Apesar disso, ainda há muita reclamação sobre a falta de orientação técnica para o setor agropecuário.

31 - jul - Assistência Técnica - Situação das Propriedades Rurais

Em Mato Grosso, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), é considerada um dos mais importantes instrumentos que o governo dispõe para viabilizar e incentivar a agricultura familiar com serviços de assistência técnica, pesquisa e extensão rural.  Com atuação em 120 municípios e dois distritos do Estado, a instituição atende aproximadamente 40 mil produtores rurais por ano.

Responsável pela execução das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do meio rural, a Empaer possui nove escritórios regionais, seis campos experimentais, quatro viveiros de produção, três Centros Regionais de Pesquisa e um escritório central. Conta com a força de trabalho de mais de 650 servidores.

De acordo com dados fornecidos pela Empaer, Mato Grosso possui 104 mil agricultores familiares que estão presentes em 76% dos estabelecimentos rurais gerando emprego e renda. Eles são responsáveis por mais de 70% dos alimentos consumidos em Mato Grosso. Bovinocultura de leite, fruticultura, olericultura, piscicultura, apicultura e sistemas agroflorestais estão na lista de prioridades.

Os trabalhos de pesquisa, transferência e validação de tecnologia são fundamentais para a diversificação, melhoria da qualidade e produtividade da agropecuária. A pesquisa desenvolvida pela Empaer é voltada para a agricultura familiar, gerando novos conhecimentos e disponibilizando tecnologias adaptadas às condições do pequeno produtor.

1458748735385

A pesquisa trouxe inovações com o melhoramento vegetal de arroz, feijão, gramíneas forrageiras, gergelim, amendoim, mandioca, banana, abacaxi, trigo, maracujá flores tropicias  e outros. Além disso, tem-se buscado cultivares eficientes no uso de fertilizantes, utilização de bactérias para fixação de nitrogênio, resistência à pragas e doenças, reduzindo o custo de produção e contaminação ambiental.

Assim como a Empaer, várias outras entidades também oferecem assistência técnica em uma proporção um pouco menor. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) passou, a partir de 2015, a oferecer Assistência Técnica e Gerencial (ATG). A primeira cadeia produtiva a ser beneficiada foi a da bovinocultura de leite, na região de Pontes e Lacerda, onde cerca de 120 produtores participam do projeto.

Já no primeiro ano, os resultados surpreenderam os irmãos Nilton e Milton de Oliveira. Eles contaram que nos primeiros 10 meses conseguiram reduzir a mortalidade de animais em aleitamento de 14% para 2%. “Com a assistência técnica conseguimos ver a viabilidade de nosso negócio de leite”. Além disso o acompanhamento técnico possibilitou maior entendimento dos pormenores da atividade leiteira viabilizando maior controle financeiro da atividade.

29 - jul - I Workshop do Leite - Senar Tec Leite - Fotos Rodrigo Lorenzon (89)
Evento que comemorou o primeiro ano do SENAR Tec Leite

Aumento de 75% na prenhez, de 100% na lactação e de 16% na produção. Além disso, também foi registrado aumento de produtividade e melhoria no planejamento e gestão da propriedade. Tudo isso faz parte da lista de benefícios conquistados no primeiro ano do Projeto SENAR Tec Leite desenvolvido pelo SENAR-MT e parceiros,  na região de Pontes e Lacerda.

A expectativa dos produtores é grande. No próximo mês de agosto o projeto completa dois anos e é hora de fazer novas avaliações. O superintendente do SENAR-MT, Otávio Celidonio, anuncia que no próximo dia 11 de agosto, acontece, em Pontes e Lacerda, o evento de Premiação da Assistência Técnica da Cadeia Produtiva do Leite, o SENAR Tec Leite 2017. A programação está recheada de novidade. Uma delas é que haverá prêmios para os produtores que tiveram melhor produtividade, melhor custo benefício e evolução. “Também terá prêmios para os técnicos”.

SAIBA MAIS SOBRE A HISTÓRIA DA ATER NO BRASIL

agri9

Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), no Brasil são serviços fundamentais no processo de desenvolvimento rural e da atividade agropecuária. É um instrumento de comunicação de conhecimento de novas tecnologias, geradas pela pesquisa, e outros conhecimentos. A Constituição de 1988 definiu que ambas devem ser levadas em conta no planejamento e execução da política agrícola do país.

A ATER ocorreu no Brasil nas décadas de 1950 e 1960, com a criação de Associações de Crédito e Assistência Rural (ACAR) nos Estados. Estas instituições eram coordenadas pela Associação Brasileira de Crédito e Assistência Rural (ABCAR).

A primeira ACAR foi criada em Minas Gerais, em 1948. Os bons resultados levaram à assinatura, em 1954, de acordo com o governo norte americano que criou Projeto Técnico de Agricultura (ETAs) em cada estado, para cooperação técnico financeira e para execução de projetos de desenvolvimento rural, incluindo a coordenação nacional das ações de extensão rural

Em 1974 por conta da lei 6.126, de seis de novembro de 1974 foi instituída a Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMBRATER) como empresa pública.

Em 1990, a EMBRATER foi extinta pelo governo Collor, deixando a competência dos serviços para estados e municípios, desorganizando assim o sistema oficial de ATER.

Já em 1999, as atribuições legais de implantação de ações de ATER passaram para a competência de dos ministérios de Agricultura e Abastecimento (MAA) e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)

Em 18 de dezembro de 2013 o Poder Executivo foi autorizado a instituir Serviço Social Autônomo com a finalidade de promover a execução de políticas de desenvolvimento da assistência técnica e extensão rural, especialmente as que contribuam para a elevação da produção, da produtividade e da qualidade dos produtos e serviços rurais, para a melhoria das condições de renda, da qualidade de vida e para a promoção social e de desenvolvimento sustentável no meio rural.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s