Muitas histórias e estórias para contar

Embarcar na Carrega Brasil é se dispor à viver muitas emoções, aventuras e desafios. É preciso ser persistente, insistente e muito, mas muito mais que isso, é preciso resistência, saúde e muita disposição.

O coordenador de eventos, Marcos Medeiros tem muitas histórias e estórias para contar. Apesar de ser um rapaz discreto (rs), depois de uma certa insistência ele acabou compartilhando parte da experiência de viajar com o Soja Brasil.

SONY DSC
Ele embarcou nesse projeto em novembro de 2015. “Tínhamos muitos desafios, porém o que mais me preocupou na primeira viagem foi o fato de não conhecer previamente os espaços onde seriam realizados os eventos e, nem os detalhes dos deslocamentos necessários para cumprir o cronograma dos eventos”.

12 - jan - equipe - Porto Alegre do Norte1

É importante ressaltar que o Soja Brasil tem uma estrutura diferenciada. A partir do novo formato adotado em 2014, além das palestras normalmente realizadas em auditórios, há também a carreta que pesa 19 toneladas e se transforma numa sala de aula, toda vez que estaciona em algum município.  “A dinâmica é desafiadora. Realizamos dois eventos por dia e, no período da tarde, ainda fazemos o deslocamento que varia entre 50 e 200 quilômetros ou mais”.

Para a etapa deste setembro, Medeiros diz que está muito otimista e cheio de expectativas. “Mais um ano. Temos novos desafios, datas diferentes, rota para ser estudadas temos vivido dias de muita adrenalina.  Logo, logo estaremos correndo esse estradão… vamos que vamos. Louco para colocar o pé na estrada e ver o projeto começar a rodar”.

E as histórias??? Parece que Medeiros não quer mesmo contar o que acontece nos bastidores do Soja Brasil.  Depois de muita insistência e sérias ameaças, ele revela algumas poucas estórias.

“Estórias?? Ahhhh Perassoli!!! Temos várias!!!  Podemos falar do famoso banho de lagartixa (Kkkkkk). Não. Acho melhor não. Esse não podemos falar.  Temos também o rally do trecho entre Porto Alegre do Norte e Alô Brasil (160 quilômetros de estrada de chão), que aventura, chuva, atoleiro, barro, carreta tombada, enfim passamos bem e sem nenhum imprevisto ou incidente.

SONY DSC

Hummmmm!!!! Não posso deixar de contar sobre a lenda de nova Xavantina (kkkkk) igual aquelas lenas urbanas!! O fato é que reza a lenda que eu deixei uma parceira de viagem no trecho, abandonada (kkkk), pois é…. até lenda teve! Mais é só lenda mesmo (kkkkk)”

SONY DSC

Como podem ver, embarcar na Carrega Brasil é se dispor a muito trabalho e muitas vivências que nunca se esquece. Bem sobre a lenda de Nova Xavantina. A “companheira”  esquecida fui “euzinha aqui”(Elaine Perassoli) e esta história faço questão de contar (rs).

SONY DSC

E enquanto isso, olha só onde ele estava – almoçando com a equipe e o presidente do Sindicato Rural de Nova Xavantina, Endrigo Dalcin.

SONY DSC

Calma pessoal. Também vou contar sobre o “banho de lagartixa”. (rs) e várias outas histórias e estórias que Medeiros esqueceu de contar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s